Pesquise no blog

Visitantes Corais

segunda-feira, 28 de dezembro de 2015

Santa Cruz x Santos - 1976

Da esquerda para a direita: Zinho, Givanildo, Gena, Botinha, Ramon,
 Erb, Luciano, Rivaldo, Gilberto e Paulo Ricardo.

sábado, 26 de dezembro de 2015

Time de Vôlei do Santa Cruz - 1980

Em 1980 o Santa Cruz participou do Campeonato Brasileiro de Vôlei – o correspondente da atual Liga Nacional - realizado na cidade de Manaus. Comandada pelo técnico Murilo Amazonas, a equipe Coral ficou na quinta colocação.

Com informações do blog Carlos Freitas Blog PE

quarta-feira, 23 de dezembro de 2015

Adelmo - 1959

Adelmo Reis Guimarães, o “Adelmo”, nasceu no Recife em 1938.  Atuando como atacante iniciou sua carreira nas categorias de base do Náutico que era comandado, na época, pelo treinador Alexandre Borges.  Em 1957 se transferiu para o juvenil do Sport mas não foi aproveitado e acabou vagando por vários clubes do subúrbio. Em 1959, com 21 anos, fez um teste no Santa Cruz e o técnico Gentil Cardoso pediu sua contratação. Seu primeiro jogo como titular no time profissional do Santa foi contra o seu ex-clube, o Sport. Adelmo marcou um gol e o jogo terminou empatado. Nesse mesmo ano ele sagrou-se campeão Pernambucano pelo Santa. No início da década de 60 ele voltou ao Sport onde se tornou ídolo com grandes atuações. Encerrou sua carreira, prematuramente, com apenas 29 anos, no CRB de Alagoas. Depois que pendurou as chuteiras Adelmo passou a viver modestamente ganhando a vida como vendedor de pasteis nas praias de Olinda, cidade em que reside até hoje.

Com informações da coluna “Alô, alô saudade” do jornalista Paulo Moraes.


quarta-feira, 16 de dezembro de 2015

Recorte do Diário de Pernambuco - Santa Cruz Campeão de 1969

Diário de Pernambuco - 27 de agosto de 1969

domingo, 13 de dezembro de 2015

Matéria da Revista Placar destacando uma grande vitória do Santa sobre o Sport - 1980

Originalmente publicado na
Revista Placar em 1980


Atenção!

Para ler as postagens de jornais e revistas do Arquivo Coral siga essas dicas: clique na imagem com o botão direito do mouse, depois clique em “Abrir em nova aba” ou "Abrir link em nova guia". Clicando na nova aba que abrir a imagem poderá ser ampliada ao máximo facilitando a leitura.

domingo, 6 de dezembro de 2015

Matéria da Revista Placar destacando o time do Santa Cruz de 2003


Originalmente publicado na
Revista Placar em Março de 2003


Atenção!

Para ler as postagens de jornais e revistas do Arquivo Coral siga essas dicas: clique na imagem com o botão direito do mouse, depois clique em “Abrir em nova aba” ou "Abrir link em nova guia". Clicando na nova aba que abrir a imagem poderá ser ampliada ao máximo facilitando a leitura.


sábado, 5 de dezembro de 2015

Time de 1965

Em pé: Agra, Lula, Birunga, Joiro, Luciano, ???
Agachados: Silvio, Uriel, Erandy, Terto e Araponga.


sexta-feira, 4 de dezembro de 2015

Padrão do Santa Cruz - 1928


quinta-feira, 3 de dezembro de 2015

Anderson Pedra - 2013

Anderson Carvalho Trindade, o “Anderson Pedra”, nasceu em Votuparanga – SP, no dia 13 de junho de 1983. Atuando como volante, começou sua carreira no modesto Iraty do Paraná em 2002. Em 2007 se transferiu para o Mogi Mirim e no ano seguinte passou a atuar pelo Paulista de Jundiaí. Sua primeira passagem pelo Santa Cruz foi em 2009 num período difícil do Santa Cruz. Acabou se transferindo para o Grêmio Barueri onde jogou por duas temporadas.  Em 2012 Pedra voltou para o Santa Cruz e se destacou ajudando nas conquistas dos Pernambucanos de 2012 e 2013 quando foi eleito o melhor volante do campeonato. Ao final do campeonato foi contratado pelo Sport, mas acabou sofrendo uma grave lesão no joelho.  Atualmente (2015) defendo o Atlético Guianense


quarta-feira, 2 de dezembro de 2015

Minuca - 1964 - 2009

Minuca. em destaque, no time do Santa Cruz - 1964

Hermínio Francisco de Oliveira Filho, o “Minuca”, nasceu em Recife no dia 18 de julho de 1944. Atuando como zagueiro iniciou sua carreira nas categorias de base do no Santa Cruz no inicio dos anos 60. Chegou ao time profissional da equipe Coral em 1962 e foi titular da zaga até 1964 quando se transferiu para o América do Rio. Nesse mesmo ano foi contratado pelo Palmeiras onde ganhou destaque nacional. Jogando ao lado do também pernambucano Zequinha - de quem era cunhado – foi Campeão Paulista de 1966, da Taça Gomes Pedrosa 1967 e 1969, da Taça Brasil de 1967 e do Troféu Internacional Ramon de Carranza em 1969. Minuca morreu, aos 65 anos, no dia 23 de abril de 2010.
Com informações do “Tardes No Pacaembu” e do “Que Fim Levou?”.



terça-feira, 1 de dezembro de 2015

Matéria da Revista Placar destacando Mancuso e Almandoz - 1999



Originalmente publicado na
Revista Placar em Fevereiro de 1999


Atenção!

Para ler as postagens de jornais e revistas do Arquivo Coral siga essas dicas: clique na imagem com o botão direito do mouse, depois clique em “Abrir em nova aba” ou "Abrir link em nova guia". Clicando na nova aba que abrir a imagem poderá ser ampliada ao máximo facilitando a leitura.

sábado, 28 de novembro de 2015

Entrega de faixas pelo Supercampeonato de 1957

No dia 20 de maio de 1958 o Santa Cruz organizou um jogo festivo para entregar as faixas de Supercampeão aos seus jogadores, título conquistado no ano anterior.  A partida, contra o Auto Esporte da Paraíba, teve arbitragem de Sherlock, terminou com a vitória do Santa pelo placar de 2x1. Abaixo, algumas fotos dessa festa extraídas da edição do Diário da noite do dia 21 de maio de 1958.

sexta-feira, 27 de novembro de 2015

Solenidade de abertura de um jogo da Excursão da Morte - 1943


quinta-feira, 26 de novembro de 2015

Camisas - 2015

terça-feira, 24 de novembro de 2015

Facó - 1969 - 2010

Orlando Facó nasceu em Beberibe-CE no ano de 1945. Atuando como atacante começou sua carreira nas categorias de base do Fortaleza, no início da década 60. Em 1963 conseguiu o primeiro título: Campeão Cearense Juvenil. Dois anos depois Facó já era um jogador consagrado tendo conquistado o título de Campeão Cearense jogando pelo time profissional do Fortaleza. Acabou se transferindo para o rival Ferroviário e sagrou-se bicampeão cearense pelo Ferrão. Em 1969 Facó foi contratado pelo Santa Cruz e ajudou o clube a conquistar o título de campeão pernambucano daquele ano. Jogou ainda pelo Treze de Campina Grande, Calouros do Ar e Maguari. Após encerrar a carreira de atleta enveredou na política conseguindo se eleger duas vezes prefeito de Beberibe, sua cidade natal. Sempre preocupado com o futuro, formou-se em engenharia em 1972 ainda quando era atleta profissional. Atualmente (2015) Facó é dono de uma empresa do ramo de máquinas e engenharia e mora no Ceará.

Com informações do vídeo: “Por Onde Anda?” – Tribuna do Ceará - Jangadeiro Online


domingo, 22 de novembro de 2015

Carreata do Acesso - 1999

sábado, 21 de novembro de 2015

Documentário: Ramón - O Artilheiro do Brasil



Vídeo documentário realizado a quatro mãos pelos jornalistas Pedro Costa e Thiago Vasconcelos narrando a trajetória do grande craque do Santa Cruz, Ramón, artilheiro do Brasil em 1973.

Mascotes do Santa Cruz com o Santos de Pelé - 1973

O jogo terminou empatado em 1x1

Rinaldo - 1987 - 2013

Rinaldo é o último agachado, ao lado do Rei Pelé

Antônio Rinaldo Gonçalves, o “Rinaldo”, nasceu em Campina Grande-PB, no dia 31 de outubro de 1965. Atuando como atacante iniciou sua carreira no Campinense. Teve também  uma breve passagem pelo Treze e chegou ao Santa Cruz em 1987. Depois de uma temporada com ótimas atuações foi contratado pelo Fluminense. Rinaldo teve uma convocação para a seleção e jogou na partida que comemorou os 50 anos de Pelé, acabou ficando marcado por não ter dado um passe para o rei marcar um gol. Jogou ainda pelo São Paulo, Sport, Portuguesa, Gamba Osaka do Japão, Marítimo e Moreirense de Portugal, Juventude e Karnten onde encerrou a carreira em 2004.


James Thorp, o benemérito do Santa Cruz

James Mark Sutton Thorpe, o James Thorp, filho de ingleses, empresário e dirigente esportivo. Torcedor do Santa Cruz Futebol Clube, do Recife, nasceu no dia 19 de dezembro de 1933.
Muitas vezes era visto passeando de bicicleta, toda enfeitada de fitas vermelha, preta e branca, além da fâmula tricolor do seu clube esportivo do coração. Quando ainda jovem assistia aos jogos do Santa Cruz acompanhado do Francisco, mordomo da família, e torcedor do clube. Recebeu convite do dirigente Aristófanes de Andrade para ajudar financeiramente o clube e nunca negou. Ficou estarrecido ao saber que no clube só tinha três pratos e três talhares para alimentar todo elenco de jogadores e eles faziam fila de três em três para almoçar. James Thorpe aumentou seu apoio financeiro. Comprou mais alimentos, pôs os salários em dia. E começou a formar um elenco com atletas da região. Era identificado pelos torcedores como "Seu Jimmy", "o inglês", "o galego". Bem vestido, com um carrão do ano, fumando charuto, galego e de olhos azuis, aquele homem jamais poderia ser um simples torcedor do Santa Cruz, o time do povão de Pernambuco.
Sua trajetória no Arruda começou em 1969, como diretor de futebol, permanecendo no cargo até o final do ano de 1970. Foi presidente do Santa Cruz no biênio 1971/72, e presidente do Conselho Deliberativo entre 1973/74. No ano de 1971 foi acertada a realização da Minicopa do Brasil, e Recife seria uma das cidades-sede. Faltava um estádio. James Thorp era o presidente do Santa Cruz, assumiu e garantiu a ampliação do Arruda. Conseguiu financiamento no Banco Industrial de Campina Grande, e a obra foi realizada pela empresa Queiroz Galvão (50%) e a Construtora Loyo (50%). O empréstimo foi totalmente quitado pelo Santa Cruz. O estádio foi reinaugurado no dia 04 de junho de 1972, no jogo Santa Cruz 0 x 0 Flamengo-RJ. A presença do mito James Thorpe no Arruda fez com que, vários tricolores de posse, que tinham vergonha de assumir publicamente a paixão pelo Santa Cruz se apresentasse como colaboradores, ajudando a fortalecer as bases de sustentação financeira do clube.
Depois de 1973 James Thorp foi se afastando do futebol. Faleceu na manhã do dia 23 de março de 1994, aos 61 anos. À noite, jogaram Brasil x Argentina, no Arruda lotado. Não foi prestado o minuto de silêncio que o inglês merecia. No seu enterro estavam presentes os filhos, a mulher, o motorista da família, um torcedor e vários amigos dele. Dona Carmen, a viúva, sensibilizada pelo ato de compaixão do solitário torcedor, mandou o motorista trazer toda a roupa do falecido e fez uma doação ao humilde e solitário torcedor.  Segundo Thomas Thorpe, filho de James Thorpe, a ordem para vetar o minuto de silêncio partiu de Ricardo Teixeira e João Havelange.  Essa atitude até hoje é incompreendida já que os dois dirigentes da CBF viviam na casa de James Thorpe em busca de recursos financeiros. Mesmo sem a homenagem oficial os torcedores do Santa Cruz que estavam presentes no jogo da Seleção Brasileira fizeram um minuto de silêncio reverenciado o grande James Thorp.
Com informações de  onordeste.com e do filho de James Thorp, Thomas Thorp.



sexta-feira, 20 de novembro de 2015

Baiano, com a camisa do Santa, em matéria da Revista Placar - 1981



Originalmente publicado na
Revista Placar em  1981

Atenção!

Para ler as postagens de jornais e revistas do Arquivo Coral siga essas dicas: clique na imagem com o botão direito do mouse, depois clique em “Abrir em nova aba” ou "Abrir link em nova guia". Clicando na nova aba que abrir a imagem poderá ser ampliada ao máximo facilitando a leitura.

quinta-feira, 19 de novembro de 2015

Carlos Benning - 1933


Time de 1928