Pesquise no blog

Visitantes Corais

sábado, 30 de junho de 2012

Júnior Cordel - 1993


Manoel Tácito Correia Júnior, o “Júnior Cordel”, nasceu no Cabo de Santo Augustinho, Pernambuco, no dia 01 de julho de 1970. Atuava como zagueiro e foi revelado pela equipe da Destilaria do Cabo em 1992. Atuou no time do Santa Cruz campeão pernambucano de 1993.

segunda-feira, 18 de junho de 2012

Matéria da Revista Placar destacando o Santa Cruz - 1977


Originalmente publicado na
Revista Placar em: 1977

Para facilitar leitura do texto: clique na imagem com o botão direito do mouse em “Abrir em nova aba” ou "Abrir link em nova guia"  e a imagem poderá ser ampliada ao máximo.

sábado, 16 de junho de 2012

Édson - 1982 - 1983

Édson Alves de Oliveira, era zagueiro e se destacou no Guarani de Campinas clube em que sagrou-se campeão brasileiro em 1978. Chegou ao Santa Cruz por indicação do técnico Carlos Alberto Silva que foi seu treinador na equipe bugrina. Fez parte do time de 1983 supercampeão pernambucano. Natural de Goiana, segundo o site “Que Fim Levou?”, reside hoje na cidade de Cores (GO).

terça-feira, 12 de junho de 2012

Marco Antônio - 2005

Marco Antônio jogava como atacante e atuou no Santa cruz em 2005 e em 2007. Sua passagem pela equipe Coral foi um pouco conturbada. Era um jogador voluntarioso, mas ficou marcado pelos incríveis gols perdidos. Abaixo, a matéria do portal EP Ribeirão noticiando o final precoce da carreira do jogador:

Contratado pelo Botafogo para a disputa da Copa Paulista, o atacante Marco Antônio anunciou nesta quarta-feira (29) sua aposentadoria como atleta profissional. Aos 32 anos, o agora ex-jogador culpou as seguidas contusões para o abandono precoce de sua carreira.
Chegou a hora de parar. Eu queria ajudar dentro de campo, mas não tenho condições físicas. Resolvi parar”, confirmou Marco Antônio.

Formado nas categorias de base do Botafogo, o ex-atacante passou por outros 21 clubes durante a carreira, como São Paulo, Atlético-MG, Paraná, Comercial, Sport-PE, Santa Cruz, Náutico, Ceará e Fortaleza. “Tive muito mais vitórias do que derrotas. Consegui três acessos, seis títulos estaduais, e várias passagens pela seleção brasileira de base, inclusive com o título do Sul americano sub-17 de 1995, sendo o artilheiro da competição”, lembrou.

Segundo Marco Antônio, a intenção é continuar no futebol. Ele pretende trabalhar em comissões técnicas, como auxiliar. “Tenho o chamado CREF provisionado, que me dá o direito de trabalhar legalmente com o futebol”, disse o ex-atleta, que espera receber um convite para permanecer no Botafogo. “Independente se eu ficar aqui ou não, quero agradecer a diretoria do Botafogo pela oportunidade que me deu.” (EP Ribeirão - 29/06/11).

domingo, 10 de junho de 2012

Torcedores Ilustres - O Homem do Charuto (Homem da Sombrinha)

O Homem do Charuto: assim era conhecido Humberto Estevão de Morais, um folclórico torcedor do Santa Cruz, a quem também  chamavam de O Homem da Sombrinha. Se vivo fosse, estaria comemorando o acesso do Santinha à Série C do Campeonato Brasileiro, como está acontecendo com milhares de pernambucanos. Quem sabe, se junto de Capiba ele não estará cantando na Eternidade, “Santa Cruz, Santa Cruz, junta mais essa vitória?”

Magro, de corpo acrobático, geralmente aparecia no estádio, quando a Cobra Coral jogava, de calça e sapatos brancos, e às vezes paletó na mesma cor, tudo isso em torno de uma camisa tricolor. Soltava baforadas de um grosso charuto, talvez por recomendação de algum pai de santo, mas isso não se sabe.

Não assistia ao jogo direito. Ficava na frente do alambrado, isso na antiga Ilha do Retiro, e nos Aflitos, posteriormente no Arruda, andando de um lado para o outro. Costumava carregar uma sombrinha nas cores do Santa, preto, branco e encarnado, como diz o rojão gravado por Jackson do Pandeiro, outro tricolor – “esse jogo não pode ser um a um...”

Homem do Charuto era querido por todos e entrou na galeria dos tipos interessantes que pontificaram na torcida coral através dos tempos, a exemplo de outros que também já se foram, como Anísio Campelo, Ivanildo da Buzina, Pantera, o Mudo  e Geraldo Arruda. Hoje eles são substituídos por gente igualmente engraçada, tipo Mazinho da Buzina, Bacalhau e Chico da Cobra.

Por: Lenivaldo Aragão

quinta-feira, 7 de junho de 2012

Torcedores ilustres - Ivanildo da Buzina


quarta-feira, 6 de junho de 2012

Torcedores ilustres - Pantera

Geraldo Lima da Silva, o "Pantera", torcedor
 símbolo do Santa Cruz da década de 70

domingo, 3 de junho de 2012

"O Leão Humilhado" - Matéria da Revista Placar de 1984


Originalmente publicado na
Revista Placar em:
 17 de Fevereiro de 1984

Para facilitar leitura do texto: clique na imagem com o botão direito do mouse em “Abrir em nova aba” ou "Abrir link em nova guia"  e a imagem poderá ser ampliada ao máximo.

Camisas - 1939-1940-1946

sábado, 2 de junho de 2012

Tecão - 1980

Roberto Franqueira, o “Tecão”, nasceu em Bauru, São Paulo, no dia 10 de maio de 1952. Jogava como zagueiro e iniciou sua carreira no Noroeste de Bauru, passando também pelo SAAD-SP, Bangu e São Paulo, clube no qual destacou-se. Jogou no Santa Cruz em 1980.  Depois que saiu do Santa, jogou ainda no Marília, Coritiba, América do Rio de Janeiro e Iguaçu do Rio de Janeiro onde encerrou sua carreira em 1987. Atualmente, segundo o Almanaque do São Paulo, Tecão mora em São Caetano do Sul onde é proprietário de um escritório de representação comercial.

sexta-feira, 1 de junho de 2012

Matéria da Revista Placar destacando o Santa Cruz - 1980

Originalmente publicado na
Revista Placar - 1980

Para facilitar leitura do texto: clique na imagem com o botão direito do mouse em “Abrir em nova aba” ou "Abrir link em nova guia"  e a imagem poderá ser ampliada ao máximo.