Pesquise no blog

Visitantes Corais

sexta-feira, 8 de abril de 2016

Siduca - 1945

Foto: Blog Fernando Vieira

Há 71 anos (04.10.1945), num Clássico das Emoções, contra o Náutico, o ponteiro-esquerdo Siduca, entrava para a história do Santa Cruz, aos marcar o gol 1.000 em jogos válidos pelo Campeonato Pernambucano. 

Segundo o Curador da Sala de Memória do Santa Cruz, Dirceu Paiva, "Siduca começou a jogar pelo Santa Cruz, a partir de maio de 1935, onde atuou durante 14 anos, até maio de 1948. 

Traçando um paralelo com grandes nomes da história de 100 Anos dO Mais Querido, Dirceu Paiva destaca, ainda, Tará que jogou 12 anos, depois foi para o Náutico e voltou ao Arruda nos anos 1949/50 completando, também, 14 anos com a camisa Coral. 

Outro nome de destaque, com longa passagem nas Repúblicas Independentes do Arruda, foi Ilo Just que jogou de 1914 a 1925 - 12 anos - e voltou entre os anos 1931/35, completando um total de 17 anos como atleta Coral. 

Siduca nasceu no bairro de São José, na verdade, Alcides da Mota Zloccowich, mas devido ao sobrenome complicado, Alcides acabou virando Siduca. Extrema ponta-esquerda, aos 11 anos, era dono e senhor do Carusinho Futebol Clube, agremiação do bairro de Afogados. 


Exímio artilheiro e eficiente nos cruzamentos, aos 12 anos, foi levado ao Santa Cruz pelo olheiro Valfrido Silva. No infantil Coral, Siduca começou a formar ala com Sidinho, com quem atuou por 20 anos. 

Segundo o blogueiro Roberto Vieira, "Siduca era craque genial de toda uma geração e, ainda, ainda tinha uma qualidade insuperável perante os pernambucanos: adorava fazer gol na seleção baiana", conta. 

TÍTULO Outro marco da data 4 de outubro foi o título Pernambucano conquistado em 1959, contra o Sport Recife, dentro da Ilha do Retiro. 
Na ocasião, o Santa Cruz atuou com Valter, Geroldo, Carvalho, Biu, Dodô, Ilzo, Tião, Hamilton, Jandir, Moacir e Mainha. Técnico: Gentil Cardoso. 

Fonte: Dirceu Paiva e Roberto Vieira.